top of page

Os Tapes: acervo digital apresenta trajetória de 51 anos

O movimento Os Tapes é uma rara e expressiva conjunção criativa e política em atividade sazonal desde o início da década de 70. Considerado por muitos um dos principais movimentos musicais do sul do Brasil, ganhou notoriedade a partir da estonteante Vida, Cisma e Canto de um Farrapo, apresentada e premiada hors-concours na 1ª California da Canção Nativa de Uruguaiana em dezembro de 1971. No mesmo palco, no ano seguinte, consagrou a lendária Pedro Guará, arrebatando a Calhandra de Ouro, prêmio máximo do festival. Assim foi o começo. Após meio século de atividade produziu discos "Canto da Gente", "Não Tá Morto Quem Peleia" e "Estação das Águas", para citar alguns, além de inúmeros espetáculos e manifestos. Não há dúvidas de que o grupo conquistou seu chão no rico compêndio artístico musical latino americano.




A partir desta sexta-feira (8), simbolicamente no Dia Mundial da Alfabetização (ONU/Unesco 08 setembro 1967), parte importante de toda a produção do grupo está disponível através do site http://ostapesacervo.com.br. Três seções dividem o conteúdo do acervo. “Os Tapes” apresenta integrantes, colaboradores, espaços de encontros e ensaios; “Obra” lista projetos, álbuns e outros registros em áudio; e Andanças lista apresentações ao vivo, folhetos programas e repertórios das apresentações.




“Além dos documentos agora disponibilizadas, outros, em número expressivo, estão catalogados para publicação à medida que processados”, explica Cláudio Boeira Garcia, membro fundador do grupo e curador do projeto. O acervo pode contar, futuramente com “cassetes de apresentações ao vivo, fotos e textos jornalísticos, versos populares recolhidos na região da Costa Doce e da Serra do Erval, gravações de depoimentos de músicos e moradores desta região sobre música em festejos populares na região na primeira metade do século XX”, completa Garcia. O projeto contou com a participação de jovens pesquisadores, artistas e amigos, que trabalham na organização e digitalização do material e desenvolvimento do site a partir de 2020. Confira mais sobre o projeto abaixo.


Sobre Ostapesacervo


Ostapesacervo disponibiliza documentos sobre Os Tapes, Grupo Musical fundado na Cidade de Tapes, RGS, em outubro de 1971, por Claudio Boeira Garcia, José Claudio Leite Machado, José Waldir Souza Garcia e Ordelino Silva. Com diferentes formações, o grupo se manteve ativo até o 2º semestre do ano de 1986. A constituição e disponibilização do acervo foi efetivada entre fins do ano de 2019 e do primeiro semestre de 2023. Na primeira etapa, seleção e organização (2020 – 2022) Camila Padilha Costa e Claudio Boeira Garcia e Fernanda Rodrigues Garcia, realizaram a seleção, digitalização (Camila) e organização dos documentos. Na segunda fase, criação do site, (fins de 2022 – julho de 2023) participaram Camila Kramm Garcia Bazetto (Web Designer) Claudio Boeira Garcia (áudio e textos), Cristiano Garcia (assessoria) Ercília Ana Cazarin (revisão textos), Otacílio Lopes Meireles e Silvio Luis Pereira (áudios). Áudios Disponíveis: LP Canto da Gente. Marcus Pereira (1975). LP Não Tá Morto Quem Peleia. Marcus Pereira (1978). LP Os Tapes, Cantares 1982 Coletânea LPs. Música Popular do Sul. Marcos Pereira; LPs. Coletânea Califórnia da Canção Nativa (1972, 1973 e 1974). Áudios disponíveis Canto da Gente.1975 Marcus Pereira. CD Estações das Águas: Claudio Boeira Garcia e Cristiano Heredia Garcia (2022). Áudios de apresentações ao vivo: Fragmentos da apresentação do Lançamento de Música Popular do Sul. Marcus Pereira (Anhembi, São Paulo (1975) Os Tapes Retrospectiva 2. Cine Independência Santa Maria.1982. Outros documentos: fotos, textos jornalísticos, áudios de entrevistas e de apresentações ao vivo, serão disponibilizadas à medida que processadas.

21 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page